O poder das Habilidades para uma Carreira de Sucesso!

23 outubro 20220 Comentários

O poder das habilidades!

Assim como o desenvolvimento pessoal, o sucesso profissional gera felicidade, bem-estar e satisfação. Alcançar seus objetivos requer passar por diferentes etapas, trabalhar em si mesmo, questionar-se, valorizar seu potencial e ir além de seus limites.

Para analisar estas etapas e compreender este desenvolvimento pessoal, vamos conhecer nesse artigo os principais tipos de habilidades, quais as habilidades mais procuradas no mercado, o poder do autoconhecimento e também como as empresas podem investir nas habilidades dos seus colaboradores, além de dicas fundamentais que lhe permitirão enriquecer as suas competências, melhorar a sua atitude e otimizar a sua qualidade de vida.

Deseja desenvolver suas habilidades profissionais, aprimorar seus conhecimentos técnicos ou focar no desenvolvimento pessoal trabalhando, por exemplo, em suas habilidades interpessoais, sua gestão do estresse, sua gestão do tempo ou sua eficiência profissional  ?

Leia nosso artigo até o final!

Desenvolvimento de habilidades para uma carreira de sucesso

O desenvolvimento de habilidades consiste na assimilação de saberes úteis no contexto profissional. Trata-se de adquirir, atualizar ou aperfeiçoar os conhecimentos necessários ao bom desempenho do cargo atual ou futuro.

O desenvolvimento de habilidades pode ser feito através de diferentes meios, através da formação profissional, mas também conferências, coaching, fóruns profissionais, feiras, eventos formais ou informais, bem como em todas as situações propícias ao intercâmbio de boas práticas.

O desenvolvimento de competências representa grandes desafios para todos os profissionais, mas também para os desempregados que desejam alargar o seu leque de oportunidades. Também é estratégico para empresas e organizações que buscam capitalizar seu conhecimento interno e otimizar seu desempenho geral.

Ao investir no desenvolvimento de competências, em parte através do seu plano de formação, a empresa aumenta a sua eficiência e a motivação dos seus colaboradores. Assim, ao focar no individual, o coletivo é impactado positivamente.

O desenvolvimento de competências diz respeito a todos os indivíduos, independentemente do seu nível de formação inicial e da sua posição. Pode ter como objetivo:

  • Melhorar a eficiência profissional: Gestão do tempo, gestão do estresse, assertividade, qualidade da gestão de reuniões;
  • Melhorar seu domínio de um idioma: Aulas de inglês, espanhol, alemão;
  • Desenvolver suas habilidades gerenciais como parte da aquisição de novas responsabilidades: Gestão de equipes, liderança, gestão de conflitos, etc;
  • Manter suas habilidades técnicas atualizadas; 
  • Obter um diploma ou certificado para aceder a uma nova profissão;
  • Ampliar sua gama de habilidades para melhorar o desempenho no contexto de suas tarefas diárias;
  • Preparar-se para uma auditoria de certificação para um padrão de qualidade: ISO , Lean, gestão da qualidade, etc.

Quem precisa desenvolver suas habilidades?

Todas as profissões devem estar preocupadas com o desenvolvimento de habilidades. Entre elas, médicos, executivos, advogados, contadores, engenheiros, professores, todos precisam de treinamento contínuo.

A formação pode ser organizada por iniciativa de um particular com financiamento pessoal ou ser financiada pela empresa.

A entrevista profissional desempenha um papel fundamental na definição do caminho de desenvolvimento de competências necessário para o colaborador apoiar o desenvolvimento da sua carreira. 

Nesta entrevista são discutidas as perspectivas de desenvolvimento profissional e os conhecimentos e competências essenciais a desenvolver para o conseguir.

As principais formas de desenvolvimento de habilidades

  • Mentoria com coaching: O coaching visa supervisionar e orientar no quadro de uma missão a cumprir a curto prazo, permite-lhe desenvolver as competências necessárias no âmbito da sua função. A mentoria baseia-se numa relação mais pessoal e apoia-o no seu desenvolvimento pessoal ou profissional para o ajudar a ganhar autoconfiança e autonomia.
  • Palestra: A palestra expõe noções teóricas que serão aplicadas no contexto profissional. Oferece a oportunidade para os participantes interagirem entre si e com o formador para uma melhor assimilação dos conhecimentos.
  • Estudo de caso: Os estudos de caso facilitam a compreensão de noções teóricas, permitem a aplicação de conceitos-chave no âmbito de casos concretos geralmente retirados da vida real.
  • Cenários: Os cenários obrigam os participantes a desempenhar um papel e a imaginar diferentes cenários, permitem-lhes situar-se o mais próximo possível da realidade.
  • Trabalho em grupo: O trabalho em grupo é essencial para a aprendizagem, na medida em que possibilita intensificar as trocas e comparar pontos de vista. Isso permite que você amplie sua visão e abra sua mente para diferentes abordagens.
  • Ensino à distância: O ensino à distância é uma alternativa à formação presencial e representa uma solução de formação alternativa menos restritiva, mas requer uma excelente autodisciplina.
  • Conferência e feira: As conferências e feiras permitem que você atualize seus conhecimentos, tenha o ponto de vista de especialistas em sua área e encontre seus pares.

Para uma maior assimilação de novas habilidades, é importante conhecer os dois principais tipos – Hard skills e soft skills – ou em bom português, habilidades “duras”, também entendidas como técnicas, e as habilidades “leves”, voltadas ao desenvolvimento como pessoa, colega.

Hard skills vs. Soft skills

Qual a diferença entre hard skills e soft skills? As hard skills referem-se ao conhecimento e às habilidades relacionadas ao trabalho que os funcionários precisam para desempenhar suas funções de maneira eficaz. 

As habilidades sociais (soft skills), por outro lado, são as qualidades pessoais que ajudam os funcionários a realmente prosperar no local de trabalho. As habilidades técnicas ajudam a identificar os candidatos que são bons no papel, enquanto as habilidades sociais indicam quais desses candidatos também são bons pessoalmente. 

Isso significa que você precisa de uma boa mistura de hard e soft skills em cada funcionário para que eles possam ter sucesso em sua função.

Por exemplo, imagine que você está contratando um desenvolvedor. Alguns exemplos de hard skills que são necessários para esta função incluem conhecimento de linguagens de programação específicas (por exemplo, Java), frameworks e ferramentas.

Por outro lado, exemplos úteis de soft skills são: colaboração, atitude de resolução de problemas e habilidades de gerenciamento de tempo.

Aqui estão as diferenças entre hard e soft skills com mais detalhes:

As habilidades técnicas, também chamadas de hard skills, são específicas do trabalho, relevantes para cada cargo e nível de antiguidade. Em outras palavras, cada posição em cada empresa exigirá uma lista exclusiva de habilidades técnicas. Por exemplo, um contador precisa saber analisar extratos bancários, enquanto esse conhecimento é desnecessário para um desenvolvedor. 

Ao mesmo tempo, a análise de extratos é importante para os contadores, independentemente de seu nível de experiência, mas preparar orçamentos de negócios é uma habilidade que geralmente não é exigida de um contador júnior.

As soft skills são características gerais, relevantes para os traços de personalidade. Algumas habilidades sociais você gostaria de ver em todos os funcionários, independentemente de sua posição ou especialização, enquanto outras habilidades sociais fazem sentido em determinados cargos e são menos importantes em outros. 

Por exemplo, se você valoriza a colaboração em sua empresa, deseja contratar funcionários que sejam ótimos membros de equipe e possam se comunicar bem com os outros.

Por outro lado, as habilidades de networking e construção de relacionamentos podem ser essenciais para funções de vendas e marketing, mas irrelevantes para funções de engenharia. 

Da mesma forma, as habilidades de liderança fazem sentido para pessoas que irão gerenciar uma equipe, independentemente do departamento.

Para um desenvolvimento de carreira completo, é importante procurar desenvolver os dois tipos de habilidades – soft e hard skills.

Desenvolvimento de hard skills vs. soft skills

Os funcionários desenvolvem hard skills por meio da educação e da prática no trabalho, enquanto desenvolvem soft skills por meio de várias experiências profissionais e pessoais ao longo da vida. Por exemplo, os profissionais de marketing podem aprender técnicas e ferramentas de marketing participando de um curso de marketing digital, enquanto podem aumentar suas habilidades de colaboração participando de um time esportivo.

Medindo habilidades técnicas versus habilidades sociais

As hard skills são mensuráveis e podem ser descritas usando critérios numéricos ou sim/não. Por outro lado, as soft skills são muitas vezes intangíveis ou difíceis de quantificar e são geralmente descritas com escalas qualitativas. 

Por exemplo, um vendedor pode ser:

  • Um excelente usuário do software X CRM que utiliza seus recursos diariamente nos últimos 5 anos e;
  • Um bom comunicador sendo capaz de explicar “muito bem” os benefícios de um produto para um cliente em potencial.

Avaliando hard skills vs. soft skills

Você pode avaliar as habilidades técnicas por meio de currículos, portfólios, tarefas relacionadas ao trabalho e perguntas de entrevista específicas de função.

Por outro lado, as soft skills são melhor avaliadas fazendo perguntas de entrevista situacionais e comportamentais, usando perguntas e testes de soft skills e levando em consideração as características gerais de personalidade do candidato, conforme apresentadas durante todo o processo de contratação.

Agora que você já conhece os dois tipos de habilidades, é hora de conhecer quais as habilidades mais procuradas pelo mercado de trabalho.

As 10 habilidades mais procuradas pelo mercado de trabalho

Sejam habilidades técnicas ou comportamentais, as necessidades de habilidades foram profundamente impactadas nos últimos anos.

Vamos conhecer as 10 habilidades mais procuradas no mercado de trabalho.

1) Informática e programação (nível avançado)

A habilidade que vem primeiro tanto globalmente quanto países subdesenvolvidos, como o Brasil, é TI e programação, que estão no topo das habilidades mais procuradas. Não é uma surpresa quando percebemos que o desenvolvimento do teletrabalho em massa colocou muito de pressão sobre as equipes de TI.

Portanto, é uma habilidade rara que você precisa saber preservar na empresa, mas também desenvolver. De fato, globalmente, 57% dos profissionais de TI se demitiriam se seu empregador não desse importância ao treinamento e ao desenvolvimento de habilidades. Por quê? Porque as habilidades técnicas de informática podem se tornar obsoletas muito rapidamente e somente o aprendizado contínuo pode mantê-las atualizadas!

2) Comunicação e negociação (nível avançado)

Com maiores necessidades nas profissões de finanças, vendas e RH, a habilidade de comunicação e negociação vem em segundo lugar no ranking de habilidades. Provavelmente culpa de um mercado que endureceu e que deve acompanhar as mudanças trazidas pelo confinamento. 

3) Criatividade

Terceira habilidade mais procurada no mercado de trabalho. A criatividade, uma soft skill que agora é essencial, permite trilhar caminhos menos percorridos para dar soluções a problemas complexos.

4) Liderança e gestão de equipes

Liderança e gestão de equipes são competências que ocupam a quarta posição entre as mais procuradas! Globalmente, é o setor da saúde que mais procura estas competências, uma provável consequência de uma crise sanitária sem precedentes à qual foi necessário reagir muito rapidamente sem poder poupar as suas equipes.

5) Treinamento de equipes

A formação e treinamento de equipes estão na quinta posição. Daqui podemos deduzir o atraso registado pelo Brasil em termos de qualidade da formação interna. E ainda, quanto melhor a transmissão, mais eficiente é o funcionário treinado e mais ele tem confiança em suas habilidades.

6) Gerenciamento de projetos

Com o desenvolvimento da gestão em modo de projeto e ferramentas como o método “ágil”, a gestão de projetos ocupa o sexto lugar entre as habilidades mais procuradas no mercado de trabalho.

Algumas empresas também tiveram que desenvolver em muito pouco tempo uma unidade interna dedicada à “gestão da crise do COVID-19”. Entendemos melhor por que é importante ter funcionários que saibam trabalhar em modo de projeto.

7) Pensamento crítico e tomada de decisão

Na sétima posição do ranking, com maiores necessidades em finanças a nível global, o pensamento crítico e a tomada de decisões são competências cada vez mais essenciais em tempos pós uma crise sanitária. Você tem que saber reagir rapidamente e decidir em condições excepcionais sem ter visibilidade de curto ou longo prazo sobre as consequências de suas decisões.

8) Habilidades de relacionamento e empatia

Habilidades relacionais e empatia aparecem em oitavo lugar no ranking. Acreditamos que o Brasil precisa urgentemente facilitar as trocas e dar um lugar melhor às relações humanas no local de trabalho.

9) Adaptabilidade e aprendizado contínuo

Adaptabilidade e aprendizado contínuo vêm em nono lugar no ranking. Num mundo em constante mudança e confrontado com a obsolescência das competências, as empresas já não podem fingir que não sabem: a melhor forma de se manterem competitivas e operacionais é treinar!

10) Processamento e análise de informações complexas

A décima habilidade do top é o processamento e análise de informações complexas. Com questões como o Lei Geral de Proteção de Dados, a crise da saúde, as consequências sistêmicas, o desenvolvimento de criptomoedas, digitalização global – rapidamente compreendemos que o mundo em geral se tornou muito complexo e que devemos saber aceitar o desafio. Em nível global, TI, operações e finanças são os mais demandados por essa habilidade.

Agora, você já sabe quais as habilidades mais procuradas pelo mercado de trabalho – mas como alcançar o aprendizado dessas habilidades de forma correta – existem duas maneiras, a reskilling, conhecida também como reciclagem profissional para outra função, e a upskilling, que pode ser entendida como o ensinamento de novas habilidades para a realização de um trabalho com mais qualidade dentro da mesma função.  

Artigos Relacionados

Nenhum resultado encontrado

A página que você solicitou não foi encontrada. Tente refinar sua pesquisa, ou use a navegação acima para localizar a postagem.

Comentários

MAESTRUS SOLUÇÕES DIGITAIS LTDA

CNPJ: 26.510.854/0001-01

Contato