E o mercado de empreendedorismo digital, trouxe novas possibilidades, principalmente para as Mães.

Por exemplo, após a maternidade, é uma chance real de retornar ao mercado de trabalho para as mães que estão afastadas.

Conciliar o trabalho e a maternidade, é algo que há muito tempo as mulheres têm de aprender a administrar.

Somente quem vive este momento sabe o quão intensa é a transformação na vida da mulher após a chegada de um filho.

As mulheres precisam se reencontrar em meio à uma nova perspectiva de vida, o que em muitas situações pode ser doloroso.

Principalmente, se falamos sobre “mercado de trabalho”.

No momento em que a mãe decide sair ou não voltar ao emprego após o fim da licença maternidade, ou quando é dispensada.

O empreendedorismo torna-se não só uma chance como uma necessidade.

E é alí, ao se ver nessa situação, é quando a mulher precisa se reinventar, estudar, arriscar e tocar um negócio próprio.

Diferente do que possa parecer para muitos, o empreendedorismo materno não é o cenário que se imagina.

Uma mãe trabalhando tranquila com seus filhos brincando calmamente ao redor.

Uma mãe que empreende, para poder  trabalhar, cuidar do lar e seus filhos, sem ter qualquer rede de apoio, lida com uma sobrecarga grande.

Ainda que muitas das vezes não seja visto, elas precisam de trabalhar além do que poderiam.

Precisam se esforçar a cada dia para trazer sustento em meio a risadinhas, gritinhos, xixis e mamás.

Muitas vezes elas ficam mais distantes de seus filhos do que gostariam.

Mas ainda assim, é a forma mais assertiva de se dedicar a criação e sustento, podendo estar menos ausente.

Hoje, temos muitas histórias na área, e mulheres já são maior número no empreendedorismo.

Vale pesquisar para poder se inspirar nos maravilhoso exemplos de nomes como:

Luiza Helena Trajano – Fundadora de uma das maiores redes de loja de eletrodomésticos do Brasil, a Magazine Luiza.

Gandha Romenski – Após se ver sem possibilidades de deixar o filho em creches ou com alguém, se reinventou e criou o Maternarum.

E muitos outros que valem a busca.

Apesar de caminhos e desafios diferentes, essas mulheres que empreendem têm algo em comum:

Todas são mães, procuram equilíbrio na vida pessoal e profissional e encontraram no empreendedorismo.

Sim, pois é uma forma de realizar sonhos e ficar mais próximas dos filhos.

“Valorizar o empreendedorismo materno é valorizar o feminino. Comprar de uma mãe é fomento à família.”